Onde é o seu lugar?


A peça só funciona se estiver no lugar correto.

Cada um sabe onde o sapato aperta.

Ao ler esta mensagem no blog: milagremulher.blogspot.com, gostei e parabenizo a autora do mesmos pelas lindas mensagens.


Esses dias, por algum motivo, meu sapato incomodou-me bastante, apertando um dedinho em especial. A cada passo que eu dava, parece que a pele ia junto e como doía!
Como não era a primeira vez que usava aquele sapato, estranhei mas, nada pude fazer. Não, alí no meio da rua.
Encontrei uma senhora e enquanto esperávamos o sinal abrir, comentei com ela que o sapato estava apertando. Sentí-me bem em dividir aquela dor, mas, isso não a fez cessar.
Sentí-me como o salmista, que motivado por um sentimento qualquer, escreveu: "Se eu falar, a minha dor não cessa, e, calando-me eu, qual é o meu alívio"? ( Jó 16:6)
Tinha um longo caminho até chegar e o sol estava bem quente. Uma coisa eu sabia, não podia parar naquele momento.Estava no meio da rua e não era decente sair andando descalça por aí. Quase coxeando continuei. Senti o que o salmista sentiu um dia, externando o seu sentimento: "Porque estou prestes a coxear; a minha dor está constantemente perante mim". (Salmos 38:17)
Finalmente chequei. Arranquei aquele sapato dos pés e calcei uma sandalinha bem confortável.
Seria bom se na vida pudéssemos sempre andar de vestidinho leve e sandalinhas confortáveis, mas, há momentos em que precisamos realmente de um elegante sapato nos pés. Exixtem sapatos lindos e confortáveis. Mas há outros que apertam e nem sempre podemos retirá-los de imediato.
Quando o meu sapato "apertou", apertou pra valer e eu estava fazendo um trajeto, trilhando um caminho. Não podia livrar-me dele. A solução foi seguir e suportar a dor até chegar ao meu destino e poder trocar aquele sapato por uma sandalinha confortável. Existem circunstâncias e pessoas em nossa vida como um sapato bem apertado. Elas tornam a nossa vida mais difícil.
Só você sabe onde o seu sapato aperta, não é? E ainda é obrigado a manter a elegância e um sorriso nos lábios, não é verdade? Você está no caminho e no caminho, não se pode jogar o sapato fora, pois se fizer isso, pode machucar o pé em algma pedra ou espinho.
Continue andando, não perca a classe, mesmo prestes a coxear, pois só assim, você chegará em casa e poderá livrar-se desse sapato que lhe machuca.
Há situações na vida semehantes a um sapato que aperta os nossos pés. E somente cada um de nós sabemos onde aperta!
Sigamos em frente e anelemos de todo coração, livrar-nos desse "incomodo". Deus nos dá graça para fazermos isso.


Mas de ambos os lados estou em aperto, tendo desejo de partir, e estar com Cristo, porque isto é ainda muito melhor.(Filipenses 1:23

Mentir pode não ser somente uma mania

Inventar histórias com argumentos irreais é considerado doença

Por Tany Souza
tany.souza@arcauniversal.com




A mentira é considerada ação que não provém de Deus, segundo a Bíblia. Mas, além disso, é um mau que pode se desenvolver para uma doença chamada Mitomania, que é a mania de mentir.
Segundo a psicóloga Heleni Gimenes, há uma diferença entre a mentirinha que, mesmo não sendo boa, é contada diariamente, e a doença de mentir. “O mitômano cria histórias muito bem elaboradas como uma forma de defesa para suprir necessidades psíquicas em sua vida, como a baixa autoestima ou algumas desordens emocionais”, explica ela, que completa: “Não podemos confundi-lo com o mentiroso que apresenta características psicopatas, que tem sempre o objetivo de ganhos pessoais (dinheiro, poder, cargos etc).”
Não existem limites de idade para o início da mitomania, o que há são pessoas que buscam a resolução de problemas emocionais e, para isso, usam de sua imaginação para criar uma realidade que não é sua. “Fatores familiares podem contribuir para o desenvolvimento do mitômano. Muitas vezes, o núcleo familiar é muito desestruturado e a criança é vitima de violência física ou psíquica e, para se defender da angústia que estes fatores causam, cria histórias onde tudo é diferente”, esclarece Heleni.
Porém, é preciso ter cautela, porque não são todas as crianças que mentem que são ou serão pessoas mitômanas. A psicóloga explica:“A criança, até os 6 anos de idade, vive num mundo onde não existem limites rígidos entre realidade e fantasia. Aos poucos, o real é absorvido e ela consegue identificar as diferenças, mas quando isso não acontece, é importante que a família compreenda a situação e entenda as causas.”
A identificação do mitômano se dá principalmente pela convivência, já que as histórias sempre têm um pequeno dado de realidade, o que permite que ele seja descoberto, formando nele uma nova angústia e, com isso, outra história. “Com o tempo, as pessoas se afastam do mitômano, causando mais angústia nele, pois suas mentiras são com o intuito de reafirmar sua autoestima”, diz a psicóloga.
Para ela, o perigo desta mentira desenfreada não é para as pessoas ao redor, mas sim para a própria pessoa. “Ela acredita que, para ser aceita, precisa de realidades diferentes, e quando não atinge esse objetivo, com o afastamento das pessoas, ela se sente mais desvalorizada.”
Para que sua mentira não seja revelada, o mitômano acaba por agregar mais pessoas na situação e elabora com mais detalhes a história, sempre colocando a mentira como centro. “Quando percebe que sua mentira deu certo e que diminuiu a sensação de angústia, ele sente um prazer imediato e fica compelido a recomeçar com novas histórias”, descreve a especialista.
“Esta mania de mentir pode trazer consequências na vida de outras pessoas, mesmo assim, a atitude correta é mostrar que não é preciso inventar histórias, mas jamais se deve humilhar, hostilizar ou fazer discursos moralistas que causarão ainda mais culpa e angústia no mitônomo”, diz Heleni.
A mitomania é considerada um vício e, como os demais, é difícil fazer com que a pessoa entenda que está doente e precisa de ajuda profissional. No caso do mitômano, ele prefere viver aprisionado pelas mentiras do que enfrentar seus problemas emocionais.
Mesmo assim, segundo Heleni Gimenes, a mitomania tem cura com tratamento psicológico, que levará a pessoa a entender os motivos de sua mentira e a focar esta energia da irrealidade em algo positivo de sua personalidade. “A cura total acontece quando a pessoa acolhe, entende e modifica a criança machucada e desvalorizada que vive dentro dela. O mitômano constrói, então, uma nova visão de si com ferramentas emocionais reais que não possuía na infância”, finaliza a psicóloga.

Exemplo de Amizade e Companheirismo.


Apóstolo Tiago: ele nunca andava sozinho


Era considerado exemplo de amizade e companheirismo
Por Tany Souza
tany.souza@arcauniversal.com


Sempre quando se lê sobre João, lá está o seu irmão Tiago, ao seu lado. Tanto que eles conheceram a Jesus e decidiram segui-Lo quando estavam juntos, trabalhando no barco do pai deles (Marcos 1:19).
Os dois participaram de momentos especiais com Jesus, como a Transfiguração (Marcos 9:2-13), onde também estava Pedro. Foram apenas estes três apóstolos que Jesus chamou para serem testemunhas de Seu poder. Isso constata o quanto eles estavam abertos para Ele.
Tiago nos faz pensar se somos igualmente amigos e companheiros de nossos irmãos de sangue, e por que não também de nossos “irmãos da vida”? Em tudo ele e João estavam juntos, compartilhando e vivendo ao lado de Jesus. Tiago não perdeu a oportunidade de estar em união e vivendo o amor diariamente.
Ele desejou seguir Jesus e assim o fez. Conforme estudos, após a crucificação de Jesus,  o apóstolo Tiago saiu para pregar o cristianismo na região da Galícia (ou Galiza). As tradições afirmam que ele foi o primeiro missionário cristão a atuar na Espanha.
Ao voltar, assim como outros que também pregavam o amor de Cristo, foi perseguido, preso e decapitado por ordem do rei Herodes (Atos 12:1-2). Mesmo assim, a Palavra de Deus cresceu e se multiplicou até os dias de hoje (Atos 12:24).
Tiago foi enterrado em um cemitério romano. Com as invasões bárbaras, a queda do Império Romano e, posteriormente, as invasões muçulmanas, o túmulo acabou sendo "esquecido", ou perdido.
Reflexão
Até onde chega a nossa fé? Ela é colocada em prática a despeito de qualquer situação ou dificuldade? Hoje vivemos em um país livre, que permite a expressão religiosa das pessoas, sem que perseguições tão maldosas como esta aconteçam. Mas você seria capaz de ir até as últimas consequências pelo fato de ter fé?
Se sua resposta for não, não se preocupe, porque na Palavra também encontramos o exemplo de um apóstolo que negou Jesus três vezes (Mateus 26:34 e 26:69).
Mas se você desejar qualificar a sua fé, é só viver segundo os preceitos de Jesus, assim como Tiago fez, sem medo e sem negar o Seu amor. Talvez isso seja um dom, que deve ser incessantemente buscado.

ORAÇÃO DA MULHER...

Nós somos terriveis, né??? Veja se não tenho razão!!! 




Querido Deus,

Até agora o meu dia foi bom:

- Não fiz fofoca;

- Não perdi a paciência;

- Não fui gananciosa, sarcástica, rabugenta, chata e nem irônica;

- Controlei minha TPM;

- Não reclamei;

- Não praguejei;

- Não gritei;

- Não tive ataques de ciúmes;

- Não comi chocolate;

- Também não fiz débitos em meu cartão de crédito, nem dei cheques pré-datados; 

Mas peço a sua proteção, Senhor, pois estou para levantar da cama a qualquer momento!

AMÉM!!!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Template by:

Free Blog Templates